domingo, 7 de setembro de 2014

Diário de Viagem - Grécia (Parte 3 - Milos)






Vamos falar um pouco sobre sonhos?

Existe coisa mais louca do que essa de realizar sonhos?

Há alguns anos, quando ainda morava em Toyama, meus pais combinaram de ir a um evento realizado pela Coca-cola em uma cidade vizinha. Eu nem me lembro exatamente sobre o que era o evento, mas meu pai havia falado que teríamos a oportunidade de voar de helicóptero e ver toda a cidade lá de cima. Eu não me animei muito, mas os acompanhei, disse que iria junto mas não queria gastar dinheiro com isso, só iria para fazer companhia. Meu pai insistiu bastante e disse que pagaria o meu vôo. Insistiu tanto que acabei concordando. O vôo não durou mais do que dez minutos, o helicóptero aterrissou e, quando saímos, meu pai era outro! Estava tão empolgado, tão feliz que faltou bem alto: “Pronto! Realizei o meu sonho!”. Eu nem imaginava, mas fiquei muito feliz por ele e pensei: “puxa vida, quantas pessoas nesse mundo podem dizer que realizaram um sonho?”.
Essas últimas semanas acabei me lembrando desse dia.



A rotina em que vivemos é uma grande destruidora de sonhos, se você escolher enxergar por esse lado, que foi o que eu fiz durante muito tempo. Me lembro de que quando voltamos de Bali, voltei cheia de planos e muito empolgada pra estudar inglês, queria abraçar o mundo. Aí as horas extras no trabalho foram aumentando, os finais de semana de folga ficando raros, a rotina tão cansativa que acabei parando. Um tempo depois resolvi voltar não por causa desses sonhos, mas porque precisava saber inglês. O modo de ver as coisas pode deixar algo tanto prazeroso quanto maçante.
Tem uma fase da vida em que você está bem no meio de duas estradas, uma leva ao conformismo e a outra te leva a um caminho desconhecido, cheio de novas possibilidades. Então, do alto dos meus quase 30 anos na época, algo mudou. Eu tomei uma decisão, escolhi o caminho do desconhecido e coisas começaram a acontecer. Eu devo muito disso à Amanda, que além de ter sido a precursora disso tudo, me fez ter coragem e me fez acreditar novamente que sim, sonhos são possíveis!



E porque estou falando de todas essas coisas neste post dedicado à Milos? É muito simples, quando olhei as águas do Mar Egeu, daquele azul indescritível, tocando a costa da ilha e formando a paisagem mais linda que meus olhos já viram, eu pensei: “nem nos meus sonhos existia lugar assim tão bonito…”



Então, vamos às informações que interessam! Rsrs
Nosso ferry saiu de Santorini umas 18:15, para variar, com um pouco de atraso. O trajeto demorou mais que o esperado também, já que deveria levar duas horas e meia com o ferry rápido mas acabou demorando umas três horas.


Chegando no porto, achamos que alguém da agência de aluguel de carros estaria nos esperando lá com a plaquinha com o nome da Amanda, que foi quem fez a reserva, assim como aconteceu em Santorini. Mas não tinha ninguém. Então ligamos na agência e descobrimos que ela ficava lá pertinho do porto mesmo. O site da agência é esse aqui: http://www.milosrent.gr . Recomendo muito, pois nos deram informações e um mapa das atrações da ilha que foi muito útil. E, no dia seguinte, ainda deixaram a gente guardar as malas lá no escritório deles sem cobrar nada, pois deveríamos devolver o carro mas ainda teríamos que esperar o ferry para Atenas. Assim deu pra gente fazer hora nas lojinhas sem precisar ficar carregando mala de lá  para cá.


Milos foi onde fizemos a primeira reserva dos 4 hotéis em que nos hospedamos nessa viagem. Era onde tinha menos hotéis com vagas para as datas escolhidas, por isso tivemos que nos apressar. Escolhemos pela localização e pelo quanto queríamos pagar, como seria só para dormir, só queríamos um lugar confortável, mas chegando no hotel foi uma surpresa. Acho que acabamos olhando as especificações gerais do hotel no site  e só quando chegamos lá que descobrimos que apenas alguns quartos possuíam ar condicionado. Como pegamos o quarto mais barato, o nosso não era dos que possuía.
Mas eu dormi muito bem, foi uma noite bem fresca. Os homens, que são mais calorentos, reclamaram um pouco.
Saímos cedinho e fomos à procura das praias. O bom de Milos é que, como é uma ilha pequena, tudo é muito perto. Do hotel até nossa primeira parada, Sarakiniko, não demorou mais do que 15 minutos.


Escolhemos Sarakiniko primeiro por ser a praia mais famosa, queríamos pegá-la não muito cheia. Acho que fizemos bem, pois quando saímos de lá uma hora depois, por volta das 9 e meia da manhã, já estava chegando bastante gente. A praia é a coisa mais linda, muito diferente de qualquer lugar que já fui. Como vocês verão o vídeo, acho que passarei rapidamente pelo assunto das praias, porque é realmente difícil de descrever.
















Todas as praias que fomos eram lindas, cada vez nos encantávamos mais! A cada parada todos soltavam um “Ohhhh” de surpresa e admiração! rsrs


Destaque para Firiplaka, Firopotamos e o vilarejo de pescadores Pollonia. Lá sim tinha aquele ar de casinhas brancas gregas que sentimos falta em Santorini. Aliás, ao chegar no porto mesmo, todos já notaram um ar diferente nessa ilha.


A impressão que eu tive é que Santorini é aquele lugar para turista, não desmerecendo a ilha, que é linda demais, não é um lugar que você consegue relaxar muito. Agora Milos tem aquele ar de cidadezinha litorânea, de vento batendo de leve no cabelo e ninguém está preocupado com a hora. Tanto que quando chegamos no hotel em Atenas, o senhor que estava na recepção perguntou de que ilha estávamos voltando, eu respondi Santorini e Milos e ele falou assim: “Milos? Nice place!”. E não falou nada sobre Santorini! rsrs E foi essa impressão que tive, que Milos é um lugar que os gregos vão. Nos restaurantes em Santorini, nas mesas em volta eu só escutava mil línguas estrangeiras diferentes. Já em Milos, o mais comum era escutar conversas em grego mesmo.


Bom, para finalizar essa conversa, um lugar que não posso deixar de falar foi a nossa maior surpresa: Tsigrado.


Essa praia, eu quase deixei para lá. Já que teríamos um dia super corrido, tendo de escolher as praias que iríamos e deixar de lado as que não daria tempo. Li muito sobre Tsigrado, mas como todos os blogs falavam que para chegar até a praia a passagem era meio perigosa, fiquei com um pouco de receio. Já que havia tantas praias lindas, porque arriscar se machucar nessa, não é mesmo?



Mas quando chegamos no local e vimos toda aquela beleza lá de cima não tinha como não ir! Esse sim foi um lugar em que eu respirei fundo e pensei: “isso sim é um presente de Deus”! 



Um lugar tão lindo que dá vontade de chorar! Acho que as imagens no vídeo não vão conseguir descrever toda a beleza, mas quando estava editanto o vídeo, tudo voltou na memória e não teve como não se emocionar novamente.


Então, finalizo aqui, reforçando a mensagem no começo desse post. Tente olhar as coisas de outra maneira, arrisque um pouco mais. Depois disso tudo, algo mudou em mim e nunca mais vai voltar a ser como antes, eu vou estar sempre procurando lugares que possam me emocionar assim novamente ou, quem sabe, eu volte para Milos, para sentir tudo isso de novo! rsrs Meu pai, que não é bobo nem nada, agora voa de helicóptero uma vez por ano! rsrs Porque, afinal, sonhos são assim, você pode realizar quantos você quiser!

Nosso vlog deste dia maravilhoso:




8 comentários:

  1. Adorei ver este post, tive em Milos há 1 semana atrás e já sinto saudades.
    Milos é uma ilha muito especial, sem dúvida. Tive muita pena nao ter conseguido ir á Tsigrado mas a Sarakiniko é qualquer coisa de fantástico!
    Você fez o passeio de barco até Kleftiko? Foi o momento mais alto de toda a viagem à Grécia.
    Beijo de Portugal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiii que legal Vanessa! Obrigada por contar para nós tb sua experiência :)
      Infelizmente não fizemos este passeio :(
      Está anotada a sua dica de Kleftiko!!!!

      Excluir
  2. Consegui ver pelo noot, rsrsr!! Estava ansiosa p/ assitir o vlog de vcs!!! Vontade maior ainda de conhecer a Grécia, em especial Tsigrado.. q é o paraísooo!!! Parabéns pelos posts de viagens q vcs fazem, com certeza ajuda mta gente!!! Bjjssss

    ResponderExcluir
  3. Que paraíso!
    Meu marido teve a oportunidade de ir, mas eu não fui junto :(
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem que ir na próxima Dea vc irá amar! Certeza! :)

      Excluir
  4. Olá, tudo bem? Achei seu blog por acaso, e amei o texto. Você escreve muito bem! Mexeu comigo ao falar de realizar sonhos, porque tenho estado na situação de "deixar as coisas pra lá", como você disse. Me conta com quantos anos vc aprendeu o inglês? Estou numa luta diária e, por falta de tempo, ás vezes deixo pra lá. Nas viagens internacionais me apoio no marido, o que é mto ruim. Bj!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ludmila! Na verdade aprender inglês ainda está na minha lista de obrigações, rs! Infelizmente creio que por não praticar a gente acaba não treinando e com isso esquecendo o que aprendeu não acha? O que mais sinto mesmo é a falta de oportunidade para praticar! Eu recomendo muito ouvir podcasts em inglês! Ajuda muito a treinar o ouvido :)

      Excluir

Olá! Deixe seu comentário, críticas ou sugestões para nós! É muito importante saber sua opinião!!
Muito obrigada por sua visita!