sábado, 7 de junho de 2014

Diário de Viagem Entrevista - A maravilhosa Tailândia!



























O paraíso do Sudeste Asiático!

Durante uma conversa com a Silvia hoje estávamos relembrando o quão nossa visão sobre viagens era diferente se compararmos o presente e 10 anos atrás. Antigamente, viajar era praticamente um "luxo" na nossa cabeça! Lembro-me que quando fui pela primeira vez em Nagoya achei tudo tão fantástico e surreal que nem acreditei que estava lá, passeando, curtindo, sendo um pouco "turista"! O "gastar" com passeios estava fora de cogitação. (sim, ir até Nagoya, apenas 100km da minha casa era um luxo!rs!). E com isso, recordamos também de várias pessoas que conhecemos ao longo destes anos que retornaram ao Brasil sem nem ao menos conhecer o Japão e sua beleza. Uma amiga minha mesmo que morou durante 8 anos aqui voltou para nosso país sem ver de perto Kyoto, Osaka ou mesmo Tóquio. 

Viajar para o exterior então?! O que era isso?!

Há 10 anos atrás a informação não era tão difundida como nos dias atuais. Não tínhamos acesso tão fácil à conteúdos, e posso dizer que muitos nem sequer sabiam pelo o que buscar. Nossa visão era tão limitada que ir até uma loja de produtos brasileiros comer um X-Bacon já era uma "viagem". Claro que estas situações corriqueiras não deixam de ser deliciosas, mas o ponto em questão é: até onde vale a pena permanecer com a mente fechada para tantas oportunidades que podemos aproveitar enquanto estamos por aqui?
E não digo fazer viagens caras não! Muito pelo contrário! Refiro-me à tentar descobrir locais novos na sua região mesmo, explorar sabores diferentes e sensações inéditas. A sair um pouco da rotina, do comum, da mesmice. 

Hoje nossa visão mudou totalmente sobre viajar. Enquanto muitos ainda nos perguntam: 

"Ué? Itália? Mas o que vocês vão fazer lá?"

Nós pensamos,

 "O que não podemos deixar de fazer lá!"

Não existe isso de "não ter o que fazer", "não ter o que ver". Todo lugar, seja Nagoya, Osaka ou Malásia tem alguma coisa para se aprender. Basta querer abrir a mente e deixar que a experiência entre em você.

E este começo de post reflete muito do nosso entrevistado de hoje. Rodrigo e Michelle Sumikawa são do blog Chega de Fábrica, Pé na Estrada que conheci através do blog amigo sempre presente por aqui, Viagens Across The World!

Rodrigo e Michelle em Shangai
Morando no Japão há 17 anos, este casal natural de São Paulo poderia se encaixar no perfil de qualquer dekassegui. Trabalham em fábrica assim como a grande maioria, enfrentando horas exaustivas e rotina pesada. Mas o grande diferencial é que eles fizeram uma escolha. Escolheram não deixar que "esta" mesmice do dia a dia fosse algo permanente. Optaram pelo conhecimento. Pela descoberta de novas culturas. Por realmente "viver" uma vida e não somente "levar" a vida. 

Rodrigo em Cingapura


O primeiro post que li do Rodrigo tratou bem sobre a questão de escolhas e caminhos que decidimos seguir:

"Temos tudo dentro da nossa casa, iPad, iPhone, computador, roupas caras, bolsas caríssimas, Tvs 50 polegadas, pois é 
“coisas novas, vida velha”, vida sem história, sem novas experiências, continuamos na inércia trabalho, casa, trabalho, casa... tudo pra poder comprar mais um objeto tão desejado, mas depois de comprarmos, acabou! Temos que esperar o próximo grande lançamento...



Mas então o que os viajantes tem em comum? Sede por viver coisas novas, colecionamos momentos e não coisas, consumimos quando precisamos, não temos vergonha de repetir roupas, não gastamos dinheiro com baladas todos os fins de semana, não temos a necessidade de pagar por marcas caras, nem seguir trocando de smartphones, ou tunar nossos carros, aliás, muitos optam por não ter carros.

Todos tem o direito de comprar o que quiserem e de terem sonhos diferentes, não existe apenas uma forma de viver! Mas cuidado para não ser consumido pelo consumismo.

O que queremos? O mundo, conhecer novas culturas, sentir novos sabores, novos cheiros, ver novas paisagens, conhecer gente diferente, aprender outras línguas, aprender com outros povos, viver momentos inesquecíveis que ficarão em nossas memórias para o resto da vida, ter histórias pra contar, não ter medo de se perder, quebrar conceitos e pré-conceitos, sentir a vida e que ela vale apena ser vivida."


E este trecho do post do Rodrigo me pegou na hora que li! Hoje vejo que meus valores mudaram totalmente. Nunca desejei ter o "carro" dos sonhos, nem um sofá confortável. Muito pelo contrário, vivo com o mínimo. E essa era minha escolha até então. Privar-me de tudo, inclusive de viver. Não me permitir sentir a sensação de estar "aproveitando" realmente a vida. Hoje troco iPads, iPhones, iMac, ou qualquer outro "i" por uma viagem. Seja para Itália ou para Nagasaki. O que importa para mim agora não é o "ter" mas sim o "ser". O que vivi e viverei vai ficar na minha memória para sempre. Bolsas Louis Vuitton, batons da MAC ou perfumes CHANEL um dia acabarão. Uma recordação de um momento é para o resto da vida!

Mas vamos à entrevista!

O casal na Coréia do Sul










Clube da Nécessaire - Rodrigo, nós costumamos brincar falando que quando uma pessoa é “picada” pelo bicho da viagem, não para mais! Quando foi que você e sua esposa foram “picados” por ele? Quando que deu um estalo na sua cabeça e vocês decidiram finalmente começar a se aventurar?

Bom eu na verdade viajo desde criança com meus pais, sempre gostei de pegar estrada, tenho ótimas lembranças da infância por alguns estados no Brasil.
Quando eu e a Michelle nos casamos, nossa lua de mel já estava decidida: iríamos para outro país! Optamos então pela  Ilha de Bintan na Indonésia e por Cingapura! Nossa primeira viagem juntos! 
Porém, viagem como “projeto de vida” que é o que fazemos hoje. Fazem uns 2 anos que me inspirei em um casal de amigos que passaram 3 anos viajando pelo mundo! Aquelas lindas fotos me fizeram pensar sobre o que eu queria para minha vida. Viver o “hoje” ou continuar juntando dinheiro para algo incerto. Então, após 17 anos, cansados da dura rotina do Japão, aquela incerteza sobre o futuro desapareceu!  Decidimos realizar nosso sonho de conhecer o mundo e finalmente saímos! Fomos passar a virada de ano na Tailândia e foi lá que tudo ficou claro pra nós! Era o que queríamos para nossa vida dali em diante!

Clube da Nécessaire - Quando e por que você decidiu criar o blog?
Olha eu não sei onde estava com a cabeça quando fiz o blog! rs!
Não sabia nada sobre blogs, não lia, nem sabia que existiam tantos! Apesar de ser viciado na internet desde de 1998, nunca me interessei por explorar este nicho, mas eu queria escrever aquilo que estávamos vivendo e inspirar outras pessoas.
E logo após nossa viagem à China, resolvi que queria criar o Chega de Fábrica, Pé na Estrada.  O mais bacana de começar escrever foram as pessoas que conheci nesse meio, gente apaixonada por viagem assim como nós!!

O casal no Vietnã

Clube da Nécessaire - Por que você acha que ainda é difícil para os brasileiros que moram aqui viajar? Mesmo tendo condições financeiras muitos não aproveitam esta oportunidade, seja por medo, por receio do desconhecido ou até mesmo por achar ainda que viajar “é luxo”? O que você acha que bloqueia as pessoas que estão na fábrica a por literalmente o pé na estrada?

Cada caso é um caso, mas no geral, acho que o grande problema é a “síndrome do terceiro mundo”.
A gente nasceu em um país onde cresce ouvindo falar que viajar é coisa de gente rica, coisa de gente granfina, e parece que isso fica registrado na nossa cabeça!
Então reparem: você diz que vai viajar, logo um fala: "Hummm tá rico hein!!"
A pessoa nem pergunta quanto você vai gastar,  quanto custa a passagem;  mal sabe ela que custa menos que a bolsa que ela comprou ou as rodas novas do carro; ou 3 meses do dinheiro gasto em baladas!
Outra coisa é o consumismo. As pessoas estão consumindo desenfreadamente "coisas". Estão com as casas cheias de bens materiais; eletrônicos, celulares, tablets, tvs,  sai um novo e a pessoa logo fica tentada a comprar... Gera uma prisão, um ciclo de consumo supérfluo que não tem fim. 
E claro, há também a questão de prioridades. Cada um tem a sua. 

  
Clube da Nécessaire - Como que vocês começam a organizar uma viagem? De onde sai a idéia de conhecer o lugar? Como se organizam? Você faz uma parte sua esposa faz a outra ou fazem tudo juntos, pesquisa, etc.? (um exemplo: aqui em casa eu faço quase tudo, meu namorado não gosta de pesquisar, ele prefere a surpresa, rsrsrs)

Nós temos a nossa wishlist de destinos, mas vamos para onde cabe no bolso, rs. Ou saímos na louca mesmo! Eu digo: vamos? Ela diz: vamos!! Rsrs
Mas sou eu quem gosta mais dessa parte de pesquisa, roteiros, ela me ajuda lendo alguns blogs, busca algumas informações.


Clube da Nécessaire - Vocês costumam viajar bastante dentro do Japão também? Para quais lugares já foram e gostaram muito que até pensam em retornar?

Hoje viajar no Japão não está  mais na nossa prioridade. Guardamos o dinheiro para viajar fora, para viajar no Japão temos um cofrinho (acredite funciona) onde vão as moedas de 500 ienes! Sendo assim, só viajamos de tempos em tempos, aliás está quase na hora de quebra-lo!rs
No Japão adoramos Kyoto! Quando o assunto é praia vamos para Shimoda todo ano! Um lugar que eu gosto muito é a península de Izu, contorná-la de carro beirando o mar desde Atami até Numazu! É muito bacana a vista é linda.


Clube da Nécessaire - Para quais lugares no mundo vocês já viajaram? Quais foram os seus 3 preferidos?

Já fomos juntos para Indonésia, Cingapura, China(Beijing e Shanghai) , Tailândia(Phuket e Koh Lipe), Malásia, Vietnã e eu ainda fui sozinho para o Paraguai e Filipinas.
Os 3 preferidos? Difícil de escolher, assim como aprendemos a não comparar países, cada viagem sempre terá sua história.



Clube da Nécessaire - Sobre a viagem à Tailândia. Primeiramente, por que você acha que a Tailândia é o lugar mais buscado pelos brasileiros que moram no Japão? O que você acha que mais os atrai para lá?

Costumo dizer que a Tailândia tem a combinação perfeita, Lindas praias, clima, povo hospitaleiro, boa comida e com um custo ao alcance do bolso. O que mais atrai na minha opinião são as famosas praias de águas cristalinas.

Michelle realizando o sonho de andar em um elefante na Tailândia!


Clube da Nécessaire - Como surgiu a vontade de conhecer o país? E qual foi a sua primeira impressão ao pisar lá?

Queríamos muito conhecer Kho Phi Phi, pelo filme "A Praia" com o  Leonardo di Caprio! Ver a  Maya Bay foi um sonho realizado.
Vou ser sincero a primeira impressão foi que parecia que estávamos no Brasil! As ruas sujas, o estilos das casas... e também foi impossível não tentar imaginar como foi nos dias do Tsunami.



Clube da Nécessaire - Qual lugar histórico que mais te emocionou conhecer e por que?

Não vou falar um lugar histórico, mas do nosso pequeno hotel, onde no dia do Tsunami de 2004 o cachorro do dono, que dorme em frente a portaria do hotel até hoje, começou a latir desesperadamente muito antes do Tsunami chegar. Ele salvou a todos ali com seus latidos alertando as pessoas. A Michelle tirou foto com ele, é uma linda história de um pequeno herói.
Michelle e o cachorro herói!


Clube da Nécessaire - Qual praia foi a mais bonita na sua opinião e por que?

Sunset Beach na ilha de Koh Lipe e Maya Bay! A beleza da paisagem ali são marcantes!

O casal em Maya Bay


Clube da Nécessaire - Teve algum costume diferente que você viu por lá e que te chamou a atenção?

O cumprimento de boas vindas com as mão juntas é muito bonito e as apostas nas lutas de Muay Thay são interessantes. Mas acho que para ver os reais costumes é preciso ir mais para o interior da Tailândia. Fomos para Phuket  e Phuket tem muitos turistas e imigrantes sendo assim mais difícil de ver os costumes reais.  Koh Lipe é uma pequena e pacata ilha com um vilarejo, mas vive também em prol dos turistas a simplicidade do povo e o sorriso sempre estampado no rosto também é bem marcante.

Rodrigo conferindo ao vivo uma luta de Muay Thai na Tailândia



Clube da Nécessaire - Um prato doce e um salgado que não podemos deixar de provar quando formos à Tailândia?

Doce: o banana pancake que na verdade se chama Roti é muito bom e a frutas Longan, Rambutan, não podem deixar passar.

Banana pancake
Fruta Longam

Salgado: A papaya salad e o Fried rice(tyahan),
Desculpe foi mais de um! É só falar em comida eu me descontrolo!hahaha



Clube da Nécessaire - Para finalizar, qual dica você daria para quem quer realmente sair da fábrica mas não tem coragem de por o pé na estrada e começar a viajar de verdade?

Primeiro eu acho importante reavaliar suas finanças. Quitar dívidas, carro, cartão de crédito, impostos atrasados, empréstimos, etc. Pense novamente sobre a questão de consumir. Avalie o que é importante comprar e o que não é, evitando assim gastar sem necessidade. Administre bem suas reservas, isso te dará segurança quando for gastar com as suas viagens. Pesquise bastante, esqueça um pouco o luxo também! Reserve o hotel 5 estrelas só para o aniversário de casamento! hahaha!
E como tudo na vida, você precisa se arriscar! Arriscar a ser feliz, acreditar e partir! Com isso você também irá se auto-descobrir. 
Um grande abraço e nos vemos na estrada!!


Rodrigo e Michelle muito obrigada pela entrevista! É realmente inspirador conhecer pessoas que amam novas experiências assim como nós!

E sigam o Rodrigo nas redes sociais!

Fan Page no Facebook : Chega de Fábrica, Pé na Estrada
Instagram: @chegadefabricapenaestrada


Um beijo,

Um comentário:

  1. muito obrigado pelo convite foi um prazer bater esse papo com vocês!!

    ResponderExcluir

Olá! Deixe seu comentário, críticas ou sugestões para nós! É muito importante saber sua opinião!!
Muito obrigada por sua visita!