Início

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Nossa experiência com o Airbnb!

Nossa sala de estar
Sempre tivemos curiosidade sobre o trabalho do Airbnb. Para quem não conhece, o Airbnb é uma comunidade baseada em trocas, pelo menos eles se definem assim. Na minha visão, trata-se de uma empresa que viabiliza a locação de acomodações em qualquer lugar do mundo. Basta você fazer seu cadastro e começar a pesquisar! Eles possuem quartos, casas, apartamentos, enfim, tudo o que você pode imaginar. Nós decidimos pelo Airbnb pois queríamos locar um apartamento por conta e não precisar depender da escola para nos direcionar as acomodações. Teríamos mais liberdade e poderíamos assim escolher onde e como queríamos que fosse nossa casa em Malta.
Pesquisamos MUITO. Mas muito mesmo! De dar até dor de cabeça, rs! Primeiramente estávamos na busca por locais em Dublin e quando abortamos esta operação, imediatamente começamos a buscar por um espaço em Malta.
Foi muito difícil decidir, mas o que gostei do Airbnb foram os seguintes fatores:

1- Você pode ler os reviews de quem já usou o local que você pretende alugar
2- É possível conversar diretamente com o proprietário, tirar suas dúvidas;  todos me responderam rapidamente!
3- O site funciona muito bem, é fácil e muito intuitivo
4- Tudo é muito detalhado nas explicações (na descrição você fica sabendo se o local conta com utensílios básicos (panela, talheres, pratos, etc.), se você precisa pagar ou não as contas de água, luz, gás (muitas vezes está incluso já no aluguel), se as roupas de cama estão disponíveis ou não, etc.)

Estávamos na dúvida entre diversos locais mais escolhemos pelo apartamento do Craig, o nosso proprietário.
O que nos fez decidir  foram dois pontos: a localização e o apartamento em si.
Este apartamento além de ser muito espaçoso conta com a vantagem de não precisarmos pagar contas como água, luz e gás. Tudo já está incluso no aluguel. Outros locais não são assim, então vale a pena conferir o que está incluso no valor que você está pagando. Para mim que moro em um cubículo no Japão está sendo maravilhoso! Hahaha! Finalmente ter uma cozinha e um sala de jantar! rs!

Temos também nossa sala de jantar! 
O apartamento é super arejado e temos muita claridade também!
O modo de alugar é muito parecido com o que fazemos quando vamos reservar um hotel no Booking por exemplo! Muito fácil e intuitivo. Após "reservar" o local você efetua o pagamento através do cartão de crédito. Vale ter atenção quanto a taxa de cancelamento. Essas regras variam muito de dono para dono, então cheque bem antes de fechar negócio.
Após este procedimento, você receberá uma confirmação do Airbnb e uma mensagem do proprietário avisando que está tudo certo para sua estadia.
Nós conversamos algumas vezes com o Craig antes de chegar em Malta. Coisas básicas, somente para confirmar o horário, data, etc.
Combinamos de nos encontrar no horário do check-in, no caso, 16:00. O taxi nos trouxe até a entrada do nosso apartamento, mas ficamos um pouco perdida pois são vários blocos.
Após a confusão, conseguimos encontrar nosso ponto de encontro. O Craig estava nos esperando exatamente no horário. Ele é inglês mas vive em Malta há algum tempo. Ele subiu conosco e nos mostrou o apartamento, fez explicação básicas sobre o funcionamento dos eletrodomésticos e algumas particularidades do local. Pediu desculpas pois os lençóis e toalhas estavam lavando ainda! Ele viria trazer tudo por volta das 18:00. Não pudemos descansar nem tomar banho pois estávamos sem nada de cama, mesa e banho.

Nossa super cozinha com tudo que precisamos!

Nosso banheiro
Por volta das 19:00 o Craig bateu na nossa porta com um saco cheio de lençóis e afins. O atraso nos incomodou um pouco pois estamos acostumadas à pontualidade incrível dos japoneses, rs.
Mas comentando agora sobre o apartamento. Ele é exatamente como havíamos visto nas fotos. Não muda nada. Só lamentamos que ele é lindo mas mal cuidado, poderia estar mais lindo ainda certamente. São coisas bobas como lâmpadas queimadas, fios soltos, parede com alguns pequenos riscos. Nada demais, mas o lugar é tão bonito que dá uma dó tremenda! rs!
O apartamento estava limpo e tudo funcionou muito bem!
Até nosso segundo dia...
Eram mais ou menos umas 21:00 quando a Silvia foi tomar banho e saiu reclamando que a água estava fria. Fui tomar o meu banho em seguida e constatei que a água estava gelada! Ai meu Deus! Como assim? Depois de um dia cansativo, tudo que queríamos era um banho quentinho e aconchegante, rs! Checamos tudo que podíamos checar mas obviamente não sabíamos o problema já que estávamos em uma nova casa. Mandei mensagem para o Craig umas 21:30 e ele me respondeu poucos minutos depois. Disse que se desculpava mas só poderia solucionar o problema no dia seguinte pois não há técnicos em Malta que trabalham a noite e ele suspeitava que seria uma problema na bomba ou algo do gênero. Tomei banho de caneca neste dia. Na manhã seguinte, a água voltou a esquentar milagrosamente, rs, mas o Craig esteve no nosso apartamento com um técnico e averiguou os problemas. Chegamos da escola  e estava tudo funcionando muito bem.
Achei interessante contar este ponto pois tudo pode acontecer quando aluga-se um apartamento então vale a pena manter a paciência e ter o contato direto com o proprietário.
Ah quanto a valores, isso vai depender MUITO da época que você escolher! O mesmo apartamento pode sair mais barato ou mais caro, variando de acordo com a alta ou baixa temporada. Aqui no verão por exemplo TUDO fica muito mais caro pois trata-se da altíssima temporada onde Malta ferve de gente, rs!

Abaixo segue nosso vídeo sobre nosso apartamento:



Um beijo,

Amanda


segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Intercâmbio em Malta - A diferença entre o primeiro e o segundo dia de aula


Nosso segundo dia de intercâmbio foi muito interessante e talvez seja uma boa dica para quem está pensando em se aventurar nos estudos. O caso é que o segundo dia pode trazer impressões totalmente diferentes da do primeiro dia.
Podemos acabar tirando algumas conclusões precipitadas sobre algumas situações quando na verdade, as mesmas requerem tempo para uma opinião mais embasada.
Hoje as duas garotas da Líbia foram separadas pela nossa professora, a Pat. Isso ajudou muito pois elas tiveram poucas chances de conversar em árabe entre elas o que fez com que a aula fluísse mais ainda. 
Estava receosa achando que poderia ser um problema as meninas se comunicar constantemente em árabe, mas com essa mudança de lugares na sala, pude conversar melhor com uma delas e saber um pouco sobre ela e sobre a cultura dela também.
A Safah é de Tripoli, capital da Líbia,  casada e mãe de um menino de 2 anos e meio. Olhando a gente nem faz idéia do background das pessoas e jamais passaria pela minha cabeça que ela é zootécnica, especialista em ursos e todos os nomes diferentes que cada um peludos possa ter, rs. Achei muito interessante também ela me contar que não trabalha ainda, tem muita vontade, mas aguarda o filho ficar maior. Com a Neima, aprendi um pouco do café da manhã típico da Líbia, e o que me surpreendeu foi o fato dela ter 11 irmãos! Que família grande! Ela me contou também que o marido dela está desaparecido devido aos problemas políticos desde a queda do Gaddafi, ex-líder do país. Ele saiu para uma passeata e não voltou mais. Imagino como deve ser difícil não saber o paradeiro de um ente querido. 
Outra coisa que me surpreendeu bastante foram as idades da russa e do alemão que estão estudando comigo. O Andre tem mais de 60 anos enquanto que a Elena 55 anos e ela é especialista em açúcar,  tipo uma engenheira especializada na área mesmo!
A Natasha que eu achei que era alemã, na realidade é nascida no Cazaquistão! Gente que diferente! Ela me contou que deixou o país quando tinha 15 anos mas que no Cazaquistão todos aprendem as duas línguas, o russo e o cazaque. Eu amei saber isso pois tenho muita curiosidade sobre este país tão diferente! 
Na parte da tarde tive aula com uma professora indiana que reside em Malta cerca de 30 anos, ela mesma se considera mais maltesa do que qualquer outra coisa. Olhos firmes, cerca de 50 anos, um pouco mais séria que a Karina, a professora do dia anterior. 
Meu amigo de conversação, o turco Bud, contou um pouco sobre sua rotina lá na Turquia e pelo que percebi ele ainda está em dúvidas sobre seu futuro quanto sua profissão. 
Hoje aprendi muita coisa sobre "Past Simple" e foi muito legal! Eu não fazia idéia que "go" virava "went" no passado, hahahaha! Coisas de quem tá começando a aprender!

Então a dica é: mesmo que você tenha se assustado ou mesmo não gostado do seu primeiro dia, tenha paciência e espere mais um pouco para poder tirar conclusões, pedir para mudar de sala, de professora, etc.! No final tudo dá certo, acredite! :)

Até amanhã!

Amanda

sábado, 16 de janeiro de 2016

Custo de vida em Malta - Supermercado


Afinal, Malta é cara?
Todos os blogs que pesquisamos afirmava que a ilha possuía um custo de vida bem interessante para quem não pode gastar muito durante seu intercâmbio. Entrei em contato com pessoas que estavam estudando aqui e todas falavam a mesma coisa: fique tranquila, Malta é barata! 

Bem, a realidade é um pouco diferente.

E eu também não sei afirmar se as meninas com as quais conversei tiveram esta impressão comparando Malta com o Brasil. Nós fizemos algumas comparações com os recentes países que estivemos e  Portugal ou o Leste Europeu são mais baratos sem sombra de dúvidas. Aliás, de todos os locais da Europa que estivemos, o Leste Europeu é o mais barato! Até mesmo a Áustria (que não é no Leste mas enfim, rs), que muitos consideram cara, nós achamos bem barata se compararmos à Itália, França ou Espanha por exemplo! Ah! A Grécia também é muito barata! 
Fazendo uma pequena comparação, nós encontrávamos uma garrafinha de água de 500ml nas ruas de Atenas por 0,40 Euros (no supermercado chegava a ser 0,13 Euros). Já aqui em Malta o normal é entre 1,20 e 1,40 Euros. Acha lugar mais barato sim, mas requer paciência na hora da procura.


Alguns exemplos de valores do supermercado (no caso do mercado grande) aqui em Malta:

  • Garrafa de 2 litros de água mineral: 0,37 euros (1,60 reais ou 0,47 ienes)
  • 10 fatias de queijo edam: 1,86 euros (8 reais ou 238 ienes)
  • 1 iogurte grego: 0,79 euros (3,50 reais ou 101 ienes)
  • 2 bananas: 0,64 euros (2,77 reais ou 82 ienes)
  • Azeite de oliva (250ml): 2,79 euros (12 reais ou 360 ienes)
  • 6 ovos: 1,10 euros (4,80 reais ou 140 ienes)
Eu mencionei acima "mercado grande" pois o que mais vemos aqui são mercadinhos de rua, estilo este aqui do lado da nossa casa:

O mercado do lado do nosso apartamento
Esses mercadinhos cobram mais caro claro, mas  são super normais em todas ruas de Malta. Bem coisa de família mesmo, até parece algum lugar no interior do Brasil, rs.

Por semana, nós achávamos que uns 20 Euros seria o suficiente para fazer o mercado para uma pessoa. Mas é praticamente impossível, rs! Pelo menos uns 50 Euros no mínimo é necessário, na minha opinião, para você conseguir fazer uma compra da semana e poder comer seu café da manhã, almoço e jantar, sem muitas regalias, rs. Somente o básico do básico MESMO! 

Nós só tivemos uma refeição em restaurante aqui em Malta e o valor para uma água, um ravioli, 3 linguiças maltesas e um pedaço de queijo foi de 20 euros. 

E aqui também estamos rodeadas de guloseimas hahahaha mas estamos tentando ser fortes, rs!



Uma das coisas que mais gostei daqui foi a possibilidade de achar uma variedade incrível de queijos, uma das coisas que mais amo!


Fizemos um pequeno vídeo contando um pouco sobre os valores dos alimentos:



Um beijo,


Amanda

Transporte público em Malta

No ferry para Valletta
Malta dispõe de uma ampla linha de ônibus (mais de 80 rotas) já que aqui não temos metrô, muito menos trem. As opções de transporte basicamente são ônibus, ferry ou táxi. Dirigir pelas ruas maltesas deve ser um  grande desafio pois pelo pouco que percebemos os motoristas não são tão gentis como no Japão. Lembra muito a loucura de grandes capitais, claro de forma bem reduzida, mas com a mesma atmosfera frenética.
Nós pesquisamos um pouco nos blogs e afins, mas sendo bem sincera, para entender mesmo só estando aqui e vendo de perto!
O que mais nos ajuda é a internet, rs! Vamos para diversos lugares usando o Google Maps e sempre dá certo. As linhas são diversas e é bem complicado entender no começo!

A tarifa do ônibus muda de acordo com a estação. No verão é mais caro, 2 euros. Já no inverno pagamos 1,50 euros. Você pode comprar a passagem nas máquinas que ficam próximas às paradas de ônibus ou com o motorista mesmo. Mas sempre tenha trocado em mãos.
Ao pagar para o motorista, ele emitirá um ticket. Guarde pois você pode usar este ticket em outros ônibus dentro de um período de 2 horas.

Malta é extremamente pequena então você consegue ir a qualquer lugar da ilha de ônibus mesmo!

Uma típica rua maltesa
A única experiência que tivemos com táxi foi na saída do aeroporto. Estávamos com nossas malas e muito cansadas para procurar o ônibus, então optamos pelo táxi. Nos blogs que li e no meu guia mesmo falava que era necessário negociar com o taxista antes de fechar a corrida. Na realidade foi bem mais simples. Na saída do aeroporto tem um balcão com os preços tabelados por distância. Basta você escolher seu destino e pagar neste balcão. Um motorista vem prontamente te buscar no mesmo instante.
Pagamos cerca de 20 euros o trajeto do aeroporto até Sliema, onde estamos morando. São poucos quilômetros mas o trânsito é intenso,  sendo assim, levamos cerca de 20, 30 minutos para chegar no nosso apartamento.

Outra experiência que tivemos foi com o ferry. Aqui usa-se muito o ferry para deslocar de um lugar para outro, em especial de Sliema (onde estamos) até Valletta ( a capital de Malta). Pagamos muito barato, 1,50 euros o trajeto, que é super rápido por sinal, não mais que 15 minutos.

Pegando o ferry para Valletta
Resumindo, o transporte aqui em Malta é simples mas não é, rs. Existem dezenas de linhas de ônibus então a dica que posso deixar é use o Google Maps para saber qual ônibus pegar exatamente e atente-se nas paradas pois nelas você irá encontrar uma placa com os números de todos os ônibus que param naquele lugar!
Abaixo nosso pequeno vídeo sobre o ônibus aqui em Malta!


Até mais!

Amanda



sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Intercâmbio em Malta - Nosso primeiro dia de aula


Gente que emoção! Foi assim antes de dormir no domingo e ao acordar na segunda! Afinal, o que nos esperava? Muitas sensações, um mix de insegurança, medo, ansiedade, expectativas e muita vontade de aprender. 
Saímos de casa por volta das 7:45 da manhã pois nós tínhamos que estar na escola às 8:30. Como ainda não decoramos o trajeto, resolvemos sair um pouco mais cedo e assim ter tempo hábil para poder nos perder pelas ruas de Sliema! 
Chegamos na escola e já de cara a infraestrutra nos surpreendeu muito. Era tão ou mais bonito do que imaginávamos. Um dos meus receios era ter que estudar 6 horas naquelas carteiras estilo de faculdade que tem um braço só sabe? Uma pessoa de 50 kg até que senta bem mas quem é maior sofre um pouco com o desconforto. Ainda bem que não foi assim! Temos salas de aulas incrivelmente bem arejadas, amplas, com cadeiras confortáveis e uma mesa decente para escrever. Ponto para a Inlingua,
Antes de começar a aula em si, tivemos uma pequena reunião para apresentação da escola com o diretor de Marketing, o Anthony. Foi bem interessante uma coisa que ele nos disse: "meu trabalho é fazer com que o sorriso do rosto de vocês permaneça do começo ao fim do curso" e isso achei importante pois eles parecem ser muito atenciosos para com os alunos.
Começamos nossa aula às 10:00. Silvia e eu estamos em classes separadas o que acaba sendo bem interessante também. 
Entrei na sala e já dei de cara com minha professora, a Pat. Uma senhora de mais ou menos uns 60 anos, que ensina inglês faz tanto tempo que ela já nem se recorda mais. Com feições típicas italianas de nada ela parecia com seu real local de origem. Pat é inglesa, de Liverpool. Conversamos um pouco e logo meus colegas de classe foram entrando e tomando seus lugares. 
Fiquei meio receosa no começo mas creio que quando atingimos uma certa idade na vida, a timidez fica ofuscada pelo nossa cara de pau, rs. "Qualidade" essa que adquire-se ao longo dos anos na minha opinião, uns tem mais outros menos, mas creio que seja essencial para a sobrevivência nos dias de hoje. 
Enfim começamos as nossas apresentações! Tenho 2 colegas da Alemanha, 1 da Russia e 2 da Líbia, ao todo somos em 6 pessoas. Número ideal diga-se de passagem. 
Deixo essa dica também para quem está procurando sua escola para intercâmbio: veja qual é a capacidade de alunos por sala, ou melhor, com quantos alunos por sala a escola costuma trabalhar! Se for um número superior a este, recomendo que procure outro lugar pois um local com 13, 15 pessoas é muita coisa na minha opinião.
A aula fluiu bem, na verdade foi mais apresentação e um pouco de gramática mas tudo com muita, mas muita conversação mesmo! Isso que mais gostei! Nós conversamos O TEMPO TODO! Nada de aula monótona, sem graça ! Muito pelo contrário! Uma delicia poder papear ou pelo menos tentar trocar experiências em inglês!
Temos apenas 2 intervalos de 30 minutos cada. Um as 10:00 até 10:30 e outro das 12:00 até 12:30. A princípio achava que era muito parar por 1 hora durante o dia, mas hoje vejo que 30 minutos não dá tempo de fazer nada! Nós comemos alguns lanches leves como barrinha de cereal e frutas e já subimos para a classe (a minha é no quinto andar e a da Silvia no sexto).
A tarde trocamos de professora. Desta vez tive o prazer de ter aula com a Karina, uma russa que vive em Malta há alguns anos e é fluente em diversas línguas. Um amor de pessoa! Ela deve ter mais ou menos uns 35 anos, tem uma filha de 7 e é muito bonita por sinal, rs! Conversamos MUUUUUUITO sobre diversos assuntos! Ah! Não posso esquecer de mencionar meu único colega de classe a tarde, um turco chamado Burdis, mas que apelidei carinhosamente de Bud! Ele é engenheiro recém formado e busca aprender inglês para conseguir entrar na BOSCH. 
A aula da tarde foi uma delícia, muito bom ter uma professora tão carismática e querida como a Karina! 
Voltamos para casa tão cansadas e famintas que praticamente capotamos logo após estudar mais um pouco!
Ansiosa pelo segundo dia!
Segue nosso vídeo falando um pouquinho sobre nosso inglês antes do curso e nossas impressões sobre o primeiro dia de aula!


Até amanhã!

Amanda