Início

domingo, 19 de outubro de 2014

Diário de Viagem Entrevista - Singapura com a Família!


Viaje com seus filhos!

Uma qualidade que admiro muito nas pessoas é a coragem de fazer coisas diferentes, de ter iniciativa, de se arriscar em novos desafios. Acho que passei a admirar ainda mais esta postura com o passar do tempo, afinal é esse mesmo tempo que vai nos podando, nos deixando mais medrosos, mais acomodados e conformados. 

Conhecer pessoas fora desse padrão é sempre muito inspirador!
Hoje quem vem nos contar um pouquinho da sua história, é o Rogério, que aos 30 anos enxergou na crise econômica de 2008 uma oportunidade  e se jogou mundo afora. Ele fez intercâmbio na Austrália e viajou por vários países! Esse ano ele passou por uma nova experiência: viajar ao exterior com sua família e seus dois filhos pequenos!
Conheça um pouco da história inspiradora deste dekassegui, que assim como eu ou você, trabalha em fábrica, mas não deixa essa rotina diária ofuscar seus sonhos! 


Rogério e família na Universal Studios em Singapura!


Minha viagem para Singapura com minha família

Depois de algumas viagens pela Ásia, Oceania e Europa sempre sozinho, estava na hora de fazer alguma coisa com minha esposa e meus dois filhos de 6 e 10 anos. Daí surgem as primeiras questões: onde seria legal as crianças conhecerem, que não tivesse um custo muito alto (pois somos em quatro) e que fosse relativamente próximo de onde morássemos, Japão.
Singapura ou Cingapura como achar melhor, foi uma escolha certeira! Pois é um país desenvolvido, bonito, organizado, limpo (extremamente limpo) e com uma diversidade de opções, pra quem curte natureza, parque temático e até lugares luxuosos e shoppings. 
É também conhecida como Asia for Beginners (Ásia para iniciantes) ideal para quem quer começar a conhecer a Ásia, por isso fica minha sugestão, comece por Cingapura. 
Algo que me chamou atenção por lá foi a variedade de multas estranhas, mas não se preocupe com isso a não ser que você masque chiclete na rua, fumar fora de lugar permitido, saia do banheiro sem dar descarga, dar alimentos aos animais silvestres, atravessar fora da faixa de pedestre, comer a fruta Durian em lugares públicos (por causa do cheiro), cuspir na rua, andar pelado e por aí vai... rs. Ah, e roubar Wi-Fi dá multa também, mas não se preocupe, pois vários lugares como cafés, lojas, hotéis e alguns distritos oferecem redes livres.

A nossa viagem foi em Maio de 2014, foram cinco dias ao todo. Viajamos pela Air Asia, uma empresa Low Cost que oferece um bom serviço, já tinha viajado duas vezes anteriormente por ela, por ser viagens de curto tempo (máximo 4hrs) vale a pena usar estas empresas low cost. Saímos de Nagoya e fizemos uma parada em Kuala Lumpur na Malásia para uma noite e no dia seguinte fomos para Cingapura, caso você opte em parar uns dias e queira conhecer um pouco a Malásia e as famosas Petronas Twin Towers!

Aeroporto em Kuala Lumpur

Vale lembrar que existe um trem que parte de Kuala Lumpur para Cingapura, demora umas 8hrs, no caso de uma viagem sem pressa pode valer a pena esse percurso que é bem mais barato que um avião e pode oferecer uma experiência a mais na viagem, apesar que o vôo também é muito barato e existem outras empresas low cost além da Air Asia que fazem esse trajeto.

Aeroporto Changi em Singapura
Chegando em Cingapura, começamos com um choque de contraste enorme, pois saímos de um aeroporto muito modesto (LCCT) e chegamos no Melhor Aeroporto do Mundo! Vencedor do Top Worldwide Airport por 12 vezes! É sensacional, acreditem! Para o translado do aeroporto para a cidade utilizamos uma van, mas quanto a isso Cingapura oferece um sistema de trens e ônibus impecável. Nem pense em alugar um carro por lá, não compensa pelo preço, trânsito e pedágios urbanos. Se você estiver num grupo de 4 pessoas utilize Táxi, que é barato e super confortável e estou falando de Mercedes Benz, Chrysler e o mais simples Sonata da Hyundai. Como a demanda é grande por táxi, é difícil pegar na rua, pra isso existem os pontos de táxi e com um pouquinho de espera na fila você pegará um tranquilamente.

Piscina do Marina Bay!

Fiz questão de nos hospedar no mais famoso Hotel de Cingapura, o Marina Bay Sands que foi inaugurado em 2010 e é um conjunto de 3 torres com mais de 2 mil quartos e no seu topo tem uma das maiores piscinas sem bordas do mundo, as fotos do local dizem tudo! Realmente é uma construção imponente e fica ao lado da famosa Singapore Flyer um complexo com restaurantes e uma linda roda Gigante!
Gardens By the Bay



Atrás do Hotel existe o Gardens By the Bay, um Jardim que mistura tecnologia e natureza com uma iluminação fantástica a noite, em frente ao Hotel existe o Merlion Park que é símbolo de Cingapura com a estátua do Merlion, meio peixe e meio Leão. Esta área entorno do Marina Bay Sands ainda conta com Cassino, um Shopping enorme com lojas de grife, muito restaurante e é perto para outras áreas de Cingapura.

Merlion




Ficamos duas noites neste hotel sensacional! No primeiro dia curtimos tudo que o entorno do hotel oferecia, mas as crianças adoraram mesmo foi a piscina no topo do prédio, que fica aberta das 6 da manhã até 23hrs, e o clima ajuda também, pois lá sempre é verão, um taxista me disse que lá tem duas estações apenas, uma quente e outra muito quente! 

China Town

No segundo dia saímos para conhecer Chinatown, experimentar a comida local e ver os templos e lojas que existem neste distrito!

Little India


Em seguida fomos para Little India, que é outro distrito com lojas e mercados indianos, porém como estava muito calor nem exploramos muito esta área, pois como eu disse anteriormente as crianças queriam era curtir a piscina do Marina Bay

Night Safari



Voltamos para o Hotel e a noite seguimos para outra atração turística, o Night Safari, um zoológico noturno com uma iluminação natural que parece aquelas noites de lua cheia. 
Dentro do parque existem duas opções de percurso, a pé ou de trenzinho, permitindo você observar a vida selvagem como se você estivesse dentro da selva e os animais a poucos metros como se estivessem no seu habitat natural, vale a pena conhecer.

No dia seguinte fomos para outro resort que fica em Sentosa Island, uma pequena ilha ligada a Cingapura, com certeza é um dos melhores lugares para ir com crianças, porque lá você encontra lindas praias, um lindo parque aquático, um enorme oceanário, museu e o famoso parque temático Universal Studios (menor que o do Japão, porém com atrações diferentes que valem a pena conhecer). 




Aqui deixo uma dica pra quem quer ir no parque, compre seu ticket on line, sempre tem promoções com desconto! Aproveite e compre o "Ticket express" que permite você ir a todas atrações sem fila. Ainda tem mais atrações em Sentosa, um Teleférico que liga a ilha a Cingapura, shoppings, hotéis (como o Hard Rock Hotel) e a ilha oferece transporte gratuito entre os seus principais pontos, mas você pode ir a pé também pois tudo é próximo.
O teleférico




O Hotel que ficamos neste local foi o Siloso Beach Resort, com preços atrativos e uma estrutura excelente, quartos confortáveis e uma piscina enorme de água nascente, com uma vegetação ao redor proporcionando um ambiente com todo o ar ecológico da ilha, a praia fica a 2 minutos a pé do hotel, lugar muito agradável, para quem gosta de natureza com certeza é imperdível. Existem outros hotéis na ilha de acordo com seu gosto e bolso.

Pena que ficamos pouco nessa ilha, apenas dois dias, no primeiro dia fomos na Universal Studios como contei acima e após enfrentar o parque temático o dia todo, na saída fizemos algumas compras (quem gosta de doces e chocolate lá tem uma loja que é o Paraíso!!!) e ficamos totalmente exaustos! 

Loja de doces


No segundo dia fizemos o check out e deixamos as malas no hotel já com a reserva do Táxi para nos levar ao aeroporto, pois o vôo seria à noite. 

Cingapura foi umas daquelas viagens que marcaram! Vale ressaltar que ainda existem muitas outras atrações e lugares que eu não citei aqui, por isso recomendo este destino. As crianças sempre comentam desse passeio e eu digo a eles “Vamos voltar lá?” e eles respondem “Quando???” Rs.
Aqui deixo alguns links úteis:


Conhecendo um pouco sobre o Rogério

1) Como viajar deixou de ser sonho e se tornar parte da sua realidade? Para onde foi sua primeira grande viagem e por que escolheu esse destino?

R: Como está na pergunta, era um sonho realmente, sempre ficava pensando como seria pisar no exterior, ver outros povos e cultura. O primeiro passo foi quando vim ao Japão, mas ainda não era aquela viagem de lazer e exploração. Por isso considero a minha primeira grande viagem a de 2008/2009 quando fui pra Austrália e fiquei lá por 6 meses. Fui para dar um up grade no meu inglês e é claro conhecer as praias, o clima e tudo que aquele país oferecia. A partir daí quando estava planejando meu vôo para ir embora me surgiu a ideia de ir fazendo escalas até chegar no Brasil! Neste momento percebi que viajar era algo real (como comprar um carro, um computador, etc) e não apenas sonho.
Rogério na sua escola de inglês em Perth, na Austrália


2) Qual país mais te surpreendeu e por quê?

R: Digamos que Austrália, pois é um país muito bonito com sua natureza incomum, pois têm coisas e animais que você só encontra lá! Foi um lugar fantástico. Mas deixo aqui uma segunda resposta, Cingapura também me surpreendeu pela beleza e qualidade de vida com uma infraestrutura invejável!

Rogério na Austrália


3) Dos lugares que visitou, onde conheceu as pessoas mais e menos hospitaleiras?

R: Mais hospitaleiras, deixa eu pensar um pouco... Serve o Japão? Rs, é sério, igual ao Japão não existe, mas isso eu digo me referindo a serviços e atendimento em geral, mas em se tratando de pessoas nativas, eu acho que Austrália foi bem legal!
Povo alegre e sem frescura, me lembra muito o Brasil. Agora menos hospitaleiros, eu achei os franceses um pouquinho arrogantes e sem paciência, em segundo lugar os chineses e em terceiro os turcos, não gostei muito dos turcos, apesar de ter curtido muito conhecer Istambul.

4) Qual a maior diferença que você sentiu entre viajar sozinho e viajar com a família? Qual dica você daria para quem acha que é quase impossível viajar com crianças pequenas?

R: Viajar sozinho é bom porque você pode ir pra qualquer lugar sem se preocupar muito.
Nas viagens que fiz sozinho acho que tem muita coisa que não conseguiria fazer se estivesse acompanhado, porque eu dormia em qualquer lugar, Albergues, Backpackers e qualquer hotel. 
Andava muito a pé, errava lugares, comia em qualquer lugar e outras coisas mais, porém é meio triste ao mesmo tempo, pois você não tem com quem compartilhar esses momentos incríveis de descobertas e lugares diferentes! Até pra tirar foto é triste fazer sozinho, rs.
Acho que se a viagem for mais pro lado de aventura e desconhecido, no máximo duas pessoas, agora se for lazer e festa é bom ir em grupo de três, quatro ou mais pessoas. 
E viajar com crianças é muito divertido (e cansativo também) o meu conselho é escolher destinos que tenham a ver com o universo infantil ou gosto da criança, como lugares com parques temáticos, praias, piscina e atrações na rua, pois uma criança dependendo da idade não faz distinção de viagem longe ou perto, caro ou barato, bonito ou feio, eles querem é se divertir e brincar! 
Escolha lugares que não se ande muito a pé (eles odeiam andar, acredite!) e explore ao máximo contar histórias sobre os lugares pra eles.
Uma boa dica é mostrar na internet antes de viajar um pouquinho dos lugares e o que tem de interessante lá, tipo se um algum filme já foi feito lá, se aquela comida é só lá que tem, quem nasceu ou mora por lá, fazer ligações com personagens em geral é bem legal pra atrair a atenção da criança e com certeza ela vai achar cada viagem única e especial. 
Quanto a crianças muito pequenas e de colo, ainda assim dá pra viajar, não desanime, mas os cuidados serão maiores e exige um pouco mais no planejamento da viagem, por isso, um bom e antecipado plano de viagem é essencial, falando nisso surge uma sugestão de filme: Férias Frustradas (1983) vale a pena assistir antes de viajar pra não cometer os mesmos erros!

5) Já passou alguma grande dificuldade ou alguma confusão durante suas viagens? Conta pra gente!

R: Dificuldade, graças a Deus eu não passei, mas já passei por algumas situações engraçadas. Lembro que quando cheguei na China e precisava pegar um Shuttle Bus do aeroporto pra cidade Nanchang, eu já sabia inclusive o itinerário pois havia pesquisado antes na net, e quando fui comprar o ticket, o cara do balcão fazia um sinal de cruz com os dedos e falava um monte de coisas, eu pensei que tinha acabado os assentos mas via as pessoas subindo no ônibus e não conseguia entender aquele gesto chinês!
 Pra quem mora no Japão é o mesmo sinal de “não pode” ou “acabou” e eu já tava pensando em ter que procurar um taxi e como eu falaria o nome do lugar pro motorista! Foi quando após um certo tempo o cara teve a brilhante ideia de apontar pra tabela de preços e ví que a tarifa seria 10 Yuan, daí me liguei que aquele sinal com os dedos era na verdade o número 10 em chinês! 
Rogério na China!

Na volta, o meu voo  pra Hong Kong atrasou 16 horas (me disseram que era comum na China isso) e como o voo sairia somente no dia seguinte nos enviaram pra um hotel e vejam vocês, era o mesmo hotel que eu havia feito check out horas antes, que coincidência! 

Durante o atraso do vôo


Para entender tudo que estava acontecendo neste atraso de voo eu conheci um chinês que falava inglês e me ajudou a entender o que estava ocorrendo, pois nesta cidade que eu fui ninguém falava inglês, nem as aeromoças, incrível não?
Quando chegamos no Hotel (de novo) o chinês falou que nos colocaram no mesmo quarto, até aí tudo bem. Fomos pro quarto e como estava muito cansado fui tomar banho e tentar dormir logo, pois tínhamos que acordar cedo no outro dia. Quando estávamos deitados (cada um na sua cama!) o chinês ao meu lado abriu o seu notebook e começou (acreditem ou não) a assistir filmes pornôs! Putz, que situação delicada, eu fiquei com um medo de entrar no quarto a polícia chinesa (lembre-se estamos na China) e nos prender por pornografia e eu saindo nos jornais “Brasileiro é preso na China enquanto assistia pornô em hotel com outro Chinês” ou pior, o cara do lado começar a se empolgar, sei lá, eu não sabia se virava de costa pra parede ou ficava de frente pra cama do lado! Só sei que cobri a cabeça e na dúvida fiquei de costas pra parede, sorte minha que o cara dormiu logo, mas não consegui dormi até amanhecer o dia. Mas depois tudo correu bem sem nenhum incidente a mais e consegui ir pra Hong Kong.
Teve outras situações também na Austrália, França que numa outra oportunidade eu conto.

7) Como você define o seu perfil como viajante, o que você busca quando pega a estrada?

R: Acho que meu perfil é de alguém curioso, pois gosto de ver lugares diferentes, não somente os principais pontos turísticos, mas sim os bairros, o povo no seu dia a dia, gosto de ver as pessoas indo trabalhar nos seus afazeres comuns. Eu busco conhecer as diferentes culturas e hábitos do povo local, pois isso me traz um sentimento de como somos pequenos neste imenso mundo e ao mesmo tempo tira o sentimento de superioridade que possamos ter em relação a outros povos.

8) Quais são os seus próximos destinos? Para onde gostaria de viajar?

R: Estou pensando seriamente em Los Angeles, Califórnia. Este será um lugar sensacional pois o meu filho de 10 anos sempre fala que quer ir lá conhecer, principalmente por ter sido locação de vários filmes, e com certeza será mágico ver este sonho meu e do meu filho ser realizado. Mas tem um lugar que eu gostaria de ir, Coreia do Norte, isso mesmo, gostaria de ir lá (mas não com meus filhos) e conhecer este lugar único no mundo, mesmo sabendo que não será um lugar divertido ou alegre. Mas seria um lugar bem diferente, não acham?


Rogério muito obrigada por disponibilizar um tempinho para nos contar sua história incrível!
A abertura deste texto foi feita pela Silvia e o encerramento será feito por mim.

O Rogério trabalha junto com meu namorado e com o da Silvia e sempre que vamos à eventos do trabalho deles nossa primeira pergunta é: "O Rogério vai também?".  Cada vez que encontramos com ele é uma história diferente! Aprendemos algum costume, alguma palavra! Viajamos nas aventuras que ele narra sempre com muita emoção e carinho! Sabe aquela pessoa que realmente te inspira? Pois é, esse é o Rogério! Sempre falo para a Silvia que se um dia tiver filhos, o Rogério e sua família servirão como exemplo para mim, de pessoas que não deixaram a rotina destruir sonhos e apresentam à seus pequenos um mundo novo a cada viagem, a cada história. Imaginou ser pequeno e poder conhecer lugares maravilhosos com seu pai contando sobre a história do local? O quão impactante isso pode ser na vida adulta, profissional e pessoal da criança? Lembro sempre de quando fui ao Louvre em Paris e vi diversas famílias com filhos pequenos, de 8,10 anos. Os pais mostrando os quadros e explicando como foi feito, e as crianças por sua vez, com os olhos arregalados, atentos e curiosos! É esse futuro que almejo para minha família!

Obrigada por sempre nos inspirar Rogério! 

Um beijo,

Amanda e Silvia 

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Experiência de compra - Site da iHerb.com!



Sempre que  posto algum item saudável no Instagram (@clubenecessaire) muitas meninas perguntam onde que costumo comprar. Além de usar os conhecido Rakuten, Amazon e BodyBuilding, outra loja virtual que estou sempre visitando é o iHerb.com!


Conheci a iHerb através da Silvia que já conhecia a um tempo ouvindo falar em redes sociais e afins. Fui navegar pela loja e já me deparei com vários itens que estava querendo há um tempo. Costumo usar whey protein em todos os meus pós-treinos e a BodyBuilding sempre era minha primeira opção. Contudo já tive muitos problemas na entrega, teve encomenda que demorou  quase 2 meses sendo que o prazo era de 14 dias úteis. Não posso reclamar pois sempre fui muitíssimo bem atendida pelo pessoal da Bodybuilding, muito prestativos e atenciosos. Mas o caso é que odeio esperar encomenda pois sou uma pessoa muito ansiosa, rs. E ai que entrou a iHerb!



O valor do frete é excelente (4 dólares) e chega muito rápido. Em menos de uma semana estou com meu pedido em casa e muito satisfeita por sinal!
Quem quiser conhecer mais sobre o serviço de entrega, prazos, valores,  o link é este aqui!

Além de produtos para praticantes de esportes, lá você encontra uma diversidade gigante de itens, desde utensílios para cozinha até para animais em geral.  E é claro, cosméticos também!

Se você ainda não conhece o site recomendo a visita com certeza!

E se você já conhece deixe aqui sua opinião também! Gostou da sua experiência de compra por lá ?

Um beijo,

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Minha pulseira Alex and Ani!



Quem segue o blog lá no Instagram (@clubenecessaire) já sabe que faz um tempinho que estou de olho nas pulseiras da Alex and Ani. Descobri esta marca folheando a Vogue e achei as peças incríveis! Fui pesquisar para conhecer um pouco mais sobre a empresa.




As pulseiras ganharam repercussão na mídia depois que várias celebridades foram fotografadas com elas. Miley Cyrus, as Kardashian, Lauren Conrad são alguns exemplos.



A Alex and Ani é uma empresa americana que desenvolve itens totalmente sustentáveis e o mais legal é o conceito de transmitir através de suas peças energia positiva! Cada bracelete contém uma mensagem diferente, é "energizado" com uma mensagem!
Bem interessante :)


Minha primeira pulseira!

Ganhei uma e uma eu comprei, o que achei super interessante é que elas se auto-ajustam ao seu braço!




Há uma infinidade de modelos lindos e para todos os gostos! Infelizmente para nós que moramos aqui no Japão pouca coisa chega, o que tem na Amazon e Rakuten não é nem 1 milésimo do que a empresa disponibiliza! Como sempre Japão lá atrás, rs.


Essas são as que tenho e como ficam no braço!
Quem tiver interesse é possível encontrar em algumas lojas físicas, link AQUI!

Um beijo,



sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Escolhendo uma bolsa de viagem - A controversa Longchamp!



Se você experimentar digitar "Longchamp" no Google e ler os primeiros posts de blogueiras famosas que sair no resultado da busca vai perceber um denominador comum. Muitas delas sempre começam o texto meio que "reticentes" sabe? Procuram não tecer nenhum elogio a primeira vista, muitas falam que nunca viram graça na bolsa mais icônica da marca, a Le Pliage. Eu mesma nunca vi graça, aliás, sempre achei meio caidinha sabe?
A Le Pliage dobra e fica do tamanho de uma carteira quase!
O caso é que vira e mexe vejo a Le Pliage quando vou à Osaka! As japonesas adoram a marca francesa e usam muito! Lembro que vi bastante também quando estive em Paris, principalmente em tom de azul marinho. Mas afinal, que bolsa é essa?


Tive o interesse em pesquisar mais a respeito quando estava na busca por uma boa bolsa para carregar nas viagens. Aliás, bolsa para  viajar é um item bem peculiar pra falar a verdade. Se você leva uma pequena não cabe nada, se carrega uma grande pesa muito. Comecei a entrar em parafuso! Rs. Nas minhas pesquisas do tipo "bolsa ideal para viajar" saíram muitos resultados principalmente a Nerverfull da LV. Contudo, a opinião é quase unânime. Todos apontam a Le Pliage como "a" bolsa para viajar!
A princesa Kate e sua irmã sempre são fotografadas com uma!

Princesa Kate com sua Longchamp
Pippa também usa muito a marca!
Fui até uma loja para conferir de perto. Haviam algumas opções diferentes em couro, mas eram pesadas como as que tenho e vejo por aí. Caminhei em direção à tão famosa e queridinha para provar. E no final, foi meio que decepção sabe? Achei que iria me apaixonar, mas senti um "nhé" por dentro que me fez deixar ela rapidinho na prateleira. Realmente são levíssimas, pesam quase o mesmo que uma ecobag, mas ainda não consegui gostar ....
Os preços acessíveis até, 8 mil ienes a mais simples.

As Le Pliage que provei
As que achei mais usáveis foram as modelos denominadas "NEO" que possuem uma alça maior para carregar no ombro. 

As mais bonitas na minha opinião são as NEO
O valor varia muito, depende do modelo, material, etc. Uma vantagem da Le Pliage é que ela dobra como na foto lá em cima do post, ou seja, você pode levar na mala e caso faça uma bela compra na viagem e extrapole o limite de bagagem, pode jogar alguns itens nela e levar como bagagem de mão (caso já não tenha uma claro).

Ainda estou pensando nela, o que vocês acham?

Gostam do modelo?


Um beijo,

Dica de leitura - Cinder!


Olá meninas, a Amanda me convidou para mais uma participação aqui no Clube da Necessaire e é claro que eu aceitei!
Hoje quero dar uma dica de livro, ou melhor de uma saga que eu acabei de ler o primeiro livro e gostei muito.

O Cinder, primeiro livro das Crônicas Lunares da autora Marissa Meyer que traz uma releitura ao conto da Cinderela. As crônicas ainda tem mais três volumes, Scarlet (Chapeuzinho Vermelho), Cress (Rapunzel) e Winter (Branca de Neve), esse último livro será lançado em 2015. Todas ambientadas em um futuro distópico.



Vou começar  falando que esse livro me chamou a atenção pela capa, umas das mais lindas que já vi.
O sapato vermelho em vez do famoso sapatinho de cristal já é um diferencial e a perna mecânica é algo que chama a atenção.
É um livro de distopia, coisa que eu adoro.
Num futuro a lua será habitada por humanos, ciborgues, lunares e andróides. Cinder é um Ciborgue       (humana com uma parte robótica) que ficou órfã e foi adotada aos 11 anos, mas logo após ser adotada seu pai morre e ela fica com sua madrastra e irmãs. Trabalha como mecânica e sustenta a família. Tem uma robô amiga e companheira chamada Iko. Gente eu adorei a Iko. E é claro que não pode faltar um princípe num conto de fadas, e aqui ele é o Príncipe Kai.

Esse é o primeiro livro publicado da autora. A história é bem legal e mostra essa Ciborgue bem especial e diferente de qualquer outro de sua espécie. É bem legal como a autora conseguiu mesclar os elementos do conto de fada com uma crítica à sociedade em que Cinder vive, a relação entre humanos e ciborgues, política e até mesmo uma doença contagiosa onde se testa as vacinas em ciborgues.

Achei que faltou um pouco mais de informação e explicações  sobre a sociedade, sobre a cidade e como as colônias lunares são. O pano de fundo da história não é tão explicado e espero que nos próximos livros a gente tenha uma idéia melhor de todo o cenário. Ciber vive em Nova Pequim, mas também são sitados outros lugares como a Europa, por exemplo e eu não entendi se as "cidades" e "continentes" são uma cópia das que existem na terra.

É um YA (young adult) mas não é chatinho nem tem diálogos chatos. Não tive vontade de pular páginas ou capítulos como aconteceu com o "A Culpa é das Estrelas" do John Green.

Quem gosta de distopias com uma temática mais cyber vai gostar desse livro.
Estou muito curiosa para continuar lendo a saga, que também estão com capas lindas de viver.




Bom, espero que gostem da minha dica! Um beijão a todas vocês!


Michele (LovLilac.com)